suspiro

15 março, 2011

erramos porque também acertamos.

aching heart

10 março, 2011

i didn’t realize / i’d lost so many nights / just trying to lose the pain / and i was a fool to think / it would be easier to leave / than to be left behind / i want you to know that / i loved you

(…)

9 março, 2011

é questão de tempo: o que começa, acaba.

armadilha

9 março, 2011

no escuro não dá pra enxergar o que vale a pena,
porque no escuro só se enxerga mais escuro.

o susto

1 março, 2011

um olhar vazio e uma certeza: não há ponte suficiente para um abismo.

carta de Lourenço

24 fevereiro, 2011

o tempo passou. enquanto isso acontecia eu estava de mão dada com a minha insanidade inventada, com o meu copo vazio, com o exagero da noite e a falta do dia. impossível segurar o agora, ele já foi. não tenho notícias do mundo porque no meu quarto não tem janelas. eu não vejo o céu, eu não vejo qualquer nuvem atravessando o horizonte. há um enorme espelho aqui na minha frente, dizendo pra mim: e agora? eu não gosto do que eu vejo. eu não sei mais qual é o seu endereço e o caminho de volta pra casa agora é outro. alguns amigos me dizem que eu deveria entender, de uma vez por todas, que é preciso assumir o que se quer. o que se tem. você entende isso? eu nunca entendi. todo esse tempo eu fugi daquele reflexo ali no meu quarto. eu sempre tive muito medo de olhar nos meus olhos e perceber que, na verdade, é tudo vazio. eu sou todo vazio. encontrei um outro sentido pros meus traços, mas o meu verbo anda tímido. a minha poesia te procura, inutilmente. o tempo passou e quando eu olho tudo aquilo que já não é meu peito ainda dói. mas um dia há de deixar de doer.

carta de Cibele

24 fevereiro, 2011

você não fez nada pra impedir que o amor da sua vida fosse embora porque talvez tenha percebido que na verdade era só uma fantasia gasta que você escolheu acreditar todos esses anos. não, eu não estou dizendo que a Lu era o amor da sua vida, Lourenço. você sabe quem era, você sabe exatamente do que eu estou falando. mas é assim mesmo que eu digo, no passado. a vida aconteceu e meu sorriso não é mais seu. um dia a lágrima deixará de ser também.