carta de Cibele

3 setembro, 2010

ontem encontrei meu sorriso no susto, em uma brincadeira de criança praticada por adultos. eu tinha que manter o equilíbrio mudando a posição dos pés e das mãos em diferentes círculos coloridos. o curioso é que a risada acontecia exatamente quando eu caia, quando já não aguentava permanecer do jeito que eu precisava estar. talvez você ache isso uma grande besteira, mas aquela felicidade foi real, ainda que efêmera. não quero te passar lição nenhuma com isso, não combina comigo. só que ontem foi essa queda que me trouxe liberdade. uma queda livre de qualquer intenção sistemática e racional. eu tenho saudades dos nossos encontros, meu querido. de preparar sua dose, acender seu cigarro no meu, andar nua pela casa enquanto você me desenha, de ouvir suas histórias, até mesmo aquelas que você vive com a Lu e com seu filho. mas minha vida anda acontecendo sem que eu esteja presente nela e eu preciso voltar. você sabe que somos dois perdidos. o que você não sabe é que eu não tenho um caminho. nem de ida, tão pouco de volta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: