disco riscado

24 julho, 2008

“- você é aquilo que deseja ser. mas também aquilo que fazem de você. você é uma miscelânea.”

não, eu não tô falando de vinil nenhum, eu tô falando desse teu jeito de levar a vida, dessas desculpas que você tira do bolso e esfrega na minha cara. antes eu tava cego, me jogando na frente do ônibus se você pedisse. hoje não suporto mais suas piadinhas folgadas com os meus amigos. o problema não é o risco nessa merda. quer dizer, é , claro que é, eu demorei anos pra achar. não, não é possível, você surtou de vez, porra. como eu caio no teu papo irracional, incoerente, de mulherzinha histérica e manhosa? como esse disco já estava assim se eu ouvi milhares de vezes. e com você deitada no meu peito, porra! a gente trepava ouvindo esse som, você fazia questão de gemer junto com os gritinhos da vocalista. pera aí, aquilo era de verdade ou você tava tirando uma com a minha cara?

você insiste que o disco já veio fodido da loja e nenhum dos dois percebeu.
a real é que sempre foi assim, eu que nunca percebi. até agora.

(divagação inspirada no texto “incompleto”, da aliceloide)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: